Assine Já
domingo, 24 de outubro de 2021
Região dos Lagos
27ºmax
18ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 52262 Óbitos: 2141
Confirmados Óbitos
Araruama 12321 438
Armação dos Búzios 6516 72
Arraial do Cabo 1720 92
Cabo Frio 14721 876
Iguaba Grande 5469 140
São Pedro da Aldeia 6984 288
Saquarema 4531 235
Últimas notícias sobre a COVID-19
PREVENÇÃO

Petrobras realiza testagem rápida no pré-embarque para plataformas

Aeroporto Internacional de Cabo Frio é um dos pontos onde são feitos os testes com colaboradores

27 abril 2020 - 17h54Por Redação
A Petrobras passou a realizar testes rápidos para a triagem de colaboradores no momento do embarque para as plataformas. Os testes tiveram início no dia 20, no aeroporto de Jacarepaguá (RJ) e já foram expandidos para os aeroportos de Vitória (ES), Macaé (RJ), Farol de São Tomé (RJ) e Cabo Frio (RJ). A testagem também será realizada nos voos para a província petrolífera de Urucu, no Amazonas.

Os exames rápidos detectam a presença de anticorpos no sangue e, portanto, são úteis para identificar pessoas que possam estar com uma infecção ativa há alguns dias, porém sem manifestação de sintomas, assim como aquelas que tenham tido uma infecção assintomática no passado.

A prevenção à disseminação do coronavírus é composta por diversas frentes e a testagem tem se mostrado uma das mais eficazes. Desde o início de abril, a Petrobras também vem utilizando o teste RT-PCR (reação em cadeia da polimerase com transcrição reversa) nos colaboradores que apresentam os sintomas da doença. Esse exame detecta a presença de material genético no organismo.

Como funcionam os testes rápidos? 

O exame é de simples realização, por meio da coleta de sangue na ponta do dedo. O teste rápido identifica dois tipos de anticorpos que são desenvolvidos no organismo para o combate ao vírus, as imunoglobulinas IgM e IgG, e o resultado sai em até 30 minutos.

O primeiro a se formar é o IgM, que indica que a pessoa pode estar com uma infecção ativa ou ter tido uma infecção recentemente, por isso ela pode estar transmitindo o vírus e deverá ser mantida em isolamento, não sendo autorizada a embarcar. Na sequência, forma-se o IgG, que indica que o vírus foi combatido pela defesa natural do organismo e que a pessoa está desenvolvendo imunidade à doença, caso em que o embarque será autorizado.

 

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.