Assine Já
quinta, 21 de novembro de 2019
Região dos Lagos
24ºmax
20ºmin
Apartamento
AP REC BANNER
eleições suplementares

Delegado de Cabo Frio nega apreensão de malas de dinheiro para compra de votos

Marcello Maia afirma que polícia apenas reteve R$ 5 mil em uma caixinha para suposto pagamento de cabos eleitorais de Marquinho

23 junho 2018 - 18h57Por Redação I Foto: Arquivo Folha
Delegado de Cabo Frio nega apreensão de malas de dinheiro para compra de votos

O delegado-titular da 126ª DP (Cabo Frio), Marcello Maia, negou no começo da noite deste sábado (23) que tenham sido apreendidas malas de dinheiro para compra de votos na eleição suplementar para prefeito, que ocorre neste domingo (24). De acordo com Maia, não houve qualquer registro de ocorrência desse tipo de crime nesta tarde.

Contudo, o delegado afirmou que uma pessoa foi detida na parte da manhã com uma pequena caixa com R$ 5 mil que seriam usados para o suposto pagamento de cabos eleitorais do candidato do MDB, Marquinho Mendes. A quantia ficou retida na unidade.

− Era uma caixinha do tamanho de uma caixa de celular com R$ 5 mil e recibos com os nomes das pessoas que seriam pagas pelo trabalho. Como se ventilou a hipótese de uma possível irregularidade, o dinheiro foi apreendido e será remetido para a Polícia Federal, que vai continuar a investigação. Já sobre as malas de dinheiro, é boato  – afirmou Marcello Maia.

O delegado concluiu dizendo que as pessoas que espalharem notícias falsas podem responder por crime contra honra, calúnia e injúria.  Para a eleição, Marcello Maia disse que a equipe estará completa na delegacia e outras duas circularão pela cidade para verificar possíveis irregularidades como compra de votos.

A reportagem entrou em contato com a assessoria de Marquinho Mendes, que divulgou um vídeo em que o candidato nega as acusações de compra de votos. Em nota, a coligação 'Cabo Frio não pode Parar' informou que um representante esteve na delegacia neste sábado (23) prestando esclarecimentos de praxe, referentes ao pagamento de funcionários contratados e devidamente registrados, "não havendo qualquer irregularidade". A coligação informou ainda "que realiza todos os procedimentos administrativos de acordo com a legislação eleitoral".