Assine Já
domingo, 17 de novembro de 2019
Região dos Lagos
25ºmax
19ºmin
Apartamento
AP REC BANNER
Geral

‘Calouros’ começam a todo vapor na Alerj

Deputados da região buscam mostrar serviço e apresentam vários projetos nos primeiros dias de mandato

07 fevereiro 2019 - 10h33
‘Calouros’ começam a todo vapor na Alerj

RODRIGO BRANCO

O recado das urnas foi claro: os 51% de renovação nas cadeiras da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) demonstram um inequívoco desejo de mudança por parte da população. Para não desapontar os eleitores, os dois deputados da Região dos Lagos no Palácio Tiradentes parecem ter entendido a mensagem e trataram de começar o mandato a todo vapor. Novatos em meio a tantos outros ‘marinheiros de primeira viagem’, Doutor Serginho (PSL) e Subtenente Mauro Bernardo (Pros) não querem saber de timidez e partem para buscar protagonismo no jogo político da Casa.

Os dois, por exemplo, pleiteiam vagas em comissões importantes do Legislativo fluminense. Hoje, inclusive, algumas das composições devem ser definidas. Serginho espera estar em algumas delas, mas preferiu não adiantar, para não atrapalhar as negociações políticas. Para a composição da Mesa Diretora, o ex-procurador de Cabo Frio e Búzios já sentiu a articulação pesada nos bastidores. Rachado, o PSL não conseguiu evitar a continuidade do petista André Ceciliano no comando da Alerj.

– Como sempre, a articulação política é muito forte. Foi uma eleição tumultuada para o PSL que perdeu a presidência para o PT. Nessa primeira semana, apresentamos vários projetos e estamos buscando compor essas comissões. Nosso interesse é participar de comissões relevantes da Casa – disse Serginho.

Como a coluna Informe dos Lagos antecipou ontem, entre os principais projetos apresentados por Serginho nos primeiros dias de trabalho pontifica o da reabertura e requalificação do Hospital de Barra de São João. Entre outras medidas, o deputado pesselista fez indicações para manutenção periódica da rodovia RJ-106; para construção de um destacamento do Corpo de Bombeiros em Tamoios, no segundo distrito de Cabo Frio; e de dragagem constante da Lagoa de Araruama. 

No campo da segurança pública, área de interesse dos aliados do presidente Jair Bolsonaro (PSL), um projeto de lei deve provocar polêmica junto a setores progressistas, “que assegura assistência jurídica pela procuradoria do estado, ou por interveniência e custeio de todos os policiais militares e civis, por quaisquer processos judiciais ou administrativos que venham a responder em decorrência do exercício de suas funções”. 
Aliás, as ações em benefício aos policiais estão sendo a prioridade do PM reformado Mauro Bernardo. A reportagem não conseguiu entrar em contato com o parlamentar do Pros, mas somente ontem, ele protocolou quatro projetos que tem como público-alvo seus ex-colegas de farda. O anúncio foi feito em vídeo pelas redes sociais.  

“Estamos encaminhando hoje um projeto de lei para que o policial militar, ao se deslocar para o trabalho, se encontrar algum pedágio, fique isento desse pedágio e o segundo é para que ele não pague nem ônibus, nem barca, nem trem nem metrô no deslocamento para o trabalho; o  terceiro é que o policial militar quando depor no horário de folga receba o RAS e o quarto, é que o policial e o bombeiro militar que sofrem acidente no horário de serviço ou de folga, se precisar urgente de uma UTI e não houver vaga, que ele seja deslocado para o hospital mais próximo e o estado custeie toda despesa. O PM que for transferido sem a sua autorização, não passe de 25 Km da sua residência e que se isso acontecer ele não seja transferido”, disse ele, que também tem como carro-chefe o fim dos depósitos de veículos apreendidos.

Já na primeira sessão, Bernardo havia protocolado um projeto de resolução para criar a Comissão de Combate a Corrupção, a Lavagem de Dinheiro e Defesa da Integridade Pública e um projeto de lei que autoriza o Governo do Estado a reduzir o pedágio da ViaLagos, além de conceder isenção para pessoas com deficiência física e idosos acima de 65 anos e manter uma tarifa única sem aumento do pedágio nos fins de semana.
Além disso, o deputado do Pros é um dos signatários da CPI do Hospital da Mulher, protocolada pela colega Renata Souza (PSOL).

Antecessores dão conselhos – Fora da Alerj, os antigos representantes da Região dos Lagos dedicam-se a frentes diferentes, mas ainda dentro da política. Janio Mendes (PDT) pretende voltar a exercer a advocacia, mas ainda tem participação preponderante nas decisões internas do partido e Silas Bento (PSL) ajuda na estruturação do partido de Bolsonaro na região e no mandato do também deputado estreante Max Lemos (MDB).
Questionado pela reportagem, Janio diz que “vai contribuir sempre com a cidade e todos que desejarem”. Ele também deu conselhos para os sucessores e disse o que faria de diferente se tivesse sido reeleito.

– Desejo que sejam parlamentares presentes e atuantes, que se dediquem a Região integralmente. Aconselho-os ao diálogo permanente com todas as correntes que integram o parlamento. Quanto a mim, em tempos de democracia direta, estabeleceria um canal mais dinâmico de diálogo com a sociedade – comentou.

Já Silas preferiu não tentar a reeleição por questões de saúde, mas ele fez um balanço positivo das suas ações no Parlamento estadual. Ele lamentou que as condições políticas precárias do ex-governador Pezão, envolto em denúncias e atualmente preso, tenha prejudicado a proximidade com o Palácio Guanabara.

– O conselho que eu dou é que entrem com muita humildade e vontade política. Trabalhem incessantemente que, com certeza, o governo do (Wilson) Witzel vai olhar bastante para a Região dos Lagos. Nota-se pelo interesse dele pelas cidades. Acredito que a Região dos Lagos vai ser beneficiada por esse governo. 

População pede Saúde, Educação e Segurança

A sede de mudança nas práticas políticas pôde ser atestada nas ruas de Cabo Frio, onde a reportagem esteve na tarde de ontem. Moradores de Búzios, o casal Cláudio Rocha, 31, e Maria Martins, 25, confirmaram a tese. Eles não admitem não conhecer os noivos deputados, mas pedem honestidade.

– Peço boa vontade e austeridade. É o princípio de tudo. Ser honesto é um excelente caminho. Articular para trazer recursos também é importante, mas ele também precisa ser bem aplicado pelos prefeitos – disse Cláudio.

– Eu morava em Rio das Ostras até pouco tempo atrás, mas pelo que eu vi, a Saúde e a Educação devem ser prioridade – concordou Maria.
A secretária Fabíola Souza, 40, recebeu a pergunta com desconfiança da reportagem, mas emendou a resposta.

– Espero o melhor para a nossa cidade e mais nada. Saúde e Educação estão precisando.

O jornaleiro Fábio Neves, 47, entusiasta e apoiador da campanha de Mauro Bernardo, ressalta o desejo de transformação na Alerj.

– Espero que eles representem bem a Região dos Lagos e que sejam bem diferente dos outros que estiveram em gestões passadas e que causaram descontentamento, com a corrupção – disse.

O estudante José Familiar, 19, elegeu Saúde e segurança pública como os problemas principais a serem tratados pelos novos deputados.
– Muita coisa tem que ser mudada, mas não espero que essa mudança seja feita da noite para o dia – reconhece o rapaz.