Assine Já
segunda, 02 de agosto de 2021
Região dos Lagos
23ºmax
13ºmin
TEMPO REAL Confirmados: 46523 Óbitos: 1889
Confirmados Óbitos
Araruama 11454 362
Armação dos Búzios 5517 58
Arraial do Cabo 1588 87
Cabo Frio 12706 765
Iguaba Grande 4804 116
São Pedro da Aldeia 6205 275
Saquarema 4249 226
Últimas notícias sobre a COVID-19
5 MILHÕES DE DOSES

Nova carga de insumos para produção da CoronaVac chega ao Brasil vinda da China

Remessa tem 3 mil litros de Insumo Farmacêutico Ativo (IFA), matéria-prima para a produção

19 abril 2021 - 18h00Por Redação

Uma nova carga contendo 3 mil litros de Insumo Farmacêutico Ativo (IFA), matéria-prima para a produção da CoronaVac, vacina do Instituto Butantan contra a Covid-19 produzida em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac, chegou ao Brasil na manhã desta segunda (19), vinda da China. O envio é suficiente para produzir 5 milhões de doses.

"Mais uma chegada de insumos que vai permitir ao Butantan continuar entregando as vacinas para o Brasil", vibrou o presidente do Instituto, Dimas Covas, que acompanhou a chegada ao Aeroporto de Guarulhos do avião contendo a matéria-prima. Também estiveram presentes o governador de São Paulo, João Doria, e o secretário de estado da Saúde, Jean Gorinchteyn.

As vacinas produzidas com esse IFA começarão a ser enviadas para os estados e municípios a partir de 3 de maio. A previsão do Butantan é encerrar o primeiro contrato com o Ministério da Saúde, para o fornecimento de 46 milhões de doses da CoronaVac ao Programa Nacional de Imunizações, até 10 de maio, e logo iniciar a entrega das próximas 54 milhões de doses, objeto do segundo contrato. Para isso, uma segunda remessa de 3 mil litros de IFA aguarda autorização para envio na China.

Mais tarde nesta mesma manhã, enquanto acompanhava o envio de mais 700 mil vacinas do Butantan ao PNI, Dimas Covas contou que o atraso na chegada do IFA e a divisão do lote inicial (em dois carregamentos de 3 mil litros, ao invés de um de 6 mil litros, conforme previsto) aconteceu por decisão do próprio sistema de exportação da China.

“Existe uma demanda muito grande do mundo todo de vacinas a partir da China, e isso tem resultado nesses atrasos”, afirmou o presidente do Instituto. “Esperamos que a partir de maio, com uma liberação maior de matéria-prima, possamos adiantar o cronograma”, completou.

O IFA que chegou a São Paulo nesta segunda partiu de Pequim na sexta (16), e fez escala em Istambul, na Turquia, e em Dakar, no Senegal.

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.