Assine Já
segunda, 24 de fevereiro de 2020
Região dos Lagos
25ºmax
20ºmin
Apartamento
Coluna

Bem vinda, alta temporada: euforia, mas com segurança!

26 novembro 2019 - 15h24

Estimados leitoras e leitores, estamos muito próximos de ingressar no derradeiro mês, deste 2019, e já é possível sentir aquela ansiedade que sempre nos embala com o alvorecer da estação mais quente do calendário. Tamanha é a euforia pulsando em nossos corações, mas será que estamos verdadeiramente preparados?

Uma pergunta de amplo espectro que pode nos remeter a algo bem particular, no sentido de questionar se estamos adotando as cautelas necessárias a garantir que essa transição seja tranquila. Ou, ainda, se o Poder Público tem elaborado um adequado planejamento para suportar os inúmeros desafios que advém da chegada do Verão. E não podemos deixar passar desapercebido pelo retrovisor, as vidas que trafegam nas vias que levam aos mais variados destinos.

Confesso que despertei para o tema ao passar por um painel que tratava sobre segurança do trabalho, onde dizia que “acidentes não ocorrem por acaso, mas por descaso”. Com efeito, é plenamente possível trazer tal conceito para nossa realidade e reduzir riscos evitáveis.

Comecemos pela preparação do roteiro de viagem, das provisões que pretendemos levar e principalmente no transporte que será utilizado. E como majoritariamente os viajantes utilizam o próprio automóvel, prioridade máxima na revisão do veículo, bem como conhecer as condições das estradas.

Por outro lado, quem utilizará outro meio muito popular, como os ônibus, sabidamente enfrentarão terminais lotados. Sempre oportuno adquirir as passagens com antecedência; chegar às rodoviárias a tempo de despachar as bagagens e evitar manter muitos objetos pessoais à mão (ou nos bolsos da parte de trás), para não facilitar a ação de punguistas. Aqueles larápios que se aproveitam dos esbarrões e tumultos para praticar furtos. Aos portadores de bolsas tiracolo ou assemelhadas, geralmente o público feminino, mantenha à vanguarda, e o mais junto possível do corpo, de preferência sempre guarnecida por uma das mãos.

Recomenda-se, ainda, não utilizar, em tais ocasiões, joias e outros adereços, como anéis, brincos e cordões muito chamativos, vistosos ou extravagantes, pois contribuem em chamar atenção de marginais oportunistas.

Por outro lado, a despeito dessas regras mais comportamentais, vale verificar se as autoridades já estão implementando os preparativos para receber a grande massa que se desloca rumo aos balneários mais frequentados, nesta época do ano, em especial, nossa Região dos Lagos.

Municípios registram um aumento absurdo de sua população flutuante, chegando até quadruplicar, o que redunda em incremento (des)proporcional de consumo dos recursos locais, do lixo produzido, de utilização do sistema modal (ônibus e o complementar), de acesso à rede de saúde. Dou testemunho pessoal sobre esse prognóstico, após comandar, por quase um triênio, o 25° Batalhão e as sete cidades que integram sua Área de Policiamento.

Como se vê, não estamos tratando somente de reforço no policiamento e de operações especialmente desenvolvidas pelas Forças de Segurança, mas de infraestrutura, o que diz respeito aos agentes políticos eleitos pelo meu e seu voto.

E toda festa cai por terra quando carecemos de um atendimento de emergência, e constatamos que certa UPA foi fechada ou que não dispomos de leitos suficientes para acolher aquele enfermo ou acidentado mais grave. Descaso esse fruto de gestões que extrapolaram os limites da incompetência, derrubando as máscaras que deixavam ocultas as faces temerosas da inconsequência.

Mas em 2020, teremos eleições municipais... para o bom entendedor, meia palavra basta!