Assine Já
segunda, 13 de julho de 2020
Região dos Lagos
28ºmax
16ºmin
Mercado Tropical
Mercado Tropical Mobile
Coluna

Um governo sem rumo

24 junho 2020 - 14h02

A administração do prefeito Adriano Moreno em Cabo Frio é frágil a olhos vistos pela absoluta falta de prioridades, uma virtude dos líderes que sabem conduzir o desenvolvimento de uma cidade e o bem estar do seu povo.

O Hospital da Criança fechado numa cidade em que a saúde sempre esteve em crise, por exemplo, é inadmissível sob todos os aspectos. 

E piora ainda mais a situação quando o governo opta pelo Hospital Unilagos, cuja utilização até agora não tem a necessária transparência. Mas, infelizmente, a insensatez do governo não ocorre apenas na saúde. Lamentavelmente este é o tom do governo, tocado de improviso e sob o olhar obsequioso da maioria dos vereadores. Um extraordinário exemplo de falta de prioridade do governo municipal é a indiferença e insensibilidade com relação ao Mercado Sebastião Lan, no Jardim Caiçara.

O galpão está interditado. 

E, na parte externa, os feirantes se amontoam como podem para sobreviver. 

Uma pena, porque são os nossos pequenos agricultores os prejudicados, não tendo eles a quem recorrer para o exercício digno de uma atividade tão importante para a população. 
No ano passado, falou-se na restauração do mercado com verba do governo estadual. 

Mas, infelizmente, não deu em nada.

A obra deveria ter sido executada no ano passado, com recursos de uma emenda parlamentar.

 No entanto, por não ser impositiva, não houve o devido empenho e o exercício financeiro acabou se findando sem que nada se fizesse.

Agora, o governo municipal se debruça num projeto de criação de um condomínio industrial. Isso é importante. 

Mas restaurar o Mercado Sebastião Lan é fundamental. Dezenas de familias sobrevivem da atividade da feira, que, além do mais, tem também a sua importância histórica em nossa cidade.
Que a Câmara Municipal se manifeste, que os vereadores se mobilizem e façam valer o bom senso administrativo para o bem das famílias que tiram o sustento das atividades naquele local.

Ainda há tempo! Os feirantes pedem socorro e os frequentadores torcem para que o governo municipal reavalie sua política de prioridades e atenda os anseios daqueles que sonham com a inteira restauração do nosso mercado.