Assine Já
terça, 11 de agosto de 2020
Região dos Lagos
28ºmax
15ºmin
Alerj
Alerj

Coluna

Rodrigo Gurgel

31 julho 2020 - 17h38

Olá, querido leitor! 

Meu nome é Rodrigo Gurgel. Sou empresário em Cabo Frio e toda sexta-feira dividirei um pouco das minhas ideias, experiências e percepções com você, amigo leitor. O objetivo dessa coluna é falar de vida, empreendedorismo e política na cidade de Cabo Frio. Siga as minhas redes sociais: @rgurgelcf, tenha uma ótima leitura!

Hoje vou falar sobre um problema que assola Cabo Frio: a corrupção. Tenho conversado com muitas pessoas e vejo uma população cada vez mais desiludida e revoltada com tudo que acontece na cidade. E não é para menos, acompanhada da incompetência das últimas gestões, a corrupção transformou as áreas da saúde, educação e segurança em completos desastres. 

Pior do que vivermos os problemas causados pela corrupção, é vermos representantes dos Poderes Executivo e Legislativo querendo voto em cima do desastre em que a cidade se encontra. Essa situação é bastante incoerente, a medida em que são esses próprios políticos os responsáveis pelos problemas que criticam. Assim, hospitais, quadras de esporte e praças abandonadas viraram palanque para disputa eleitoral e fortalecem a velha forma de fazer política. Eu ouso dizer que empobrecer a população é a forma com a qual os políticos que representam Cabo Frio se mantêm no poder.

Em minha opinião, a desculpa mais esfarrapada para justificar os problemas que o município vem passando é a falta de royalties. Todos sabemos que a prefeitura é um antro de funcionários fantasmas que sugam o dinheiro público. Além de onerar os cofres, esses funcionários legitimam relações obscuras criadas dentro do processo eleitoral, ou seja, para se eleger vale de tudo. Enquanto os fantasmas incham a máquina sem aparecer para trabalhar, o salário de professores e médicos estão atrasados. 

Uma das formas de corrupção mais clássicas em Cabo Frio é o privilégio que o Executivo tem.  Vagas em creches e escolas e exames que deveriam ser direito de todos se tornaram artigos de luxo para serem negociados por vereadores. 
Outra forma clássica são os ganhos obtidos pelos funcionários do Executivo e Legislativo nos contratos de licitação e superfaturamento em obras. Esse tipo de corrupção é o que nos traz a intervenção do Ministério Público e da Polícia Federal. O meu sentimento para essas situações é de muita vergonha e revolta. Enquanto nós sofremos, nossos políticos andam de carro blindado pela cidade.

Hoje não há um problema maior ou menor em Cabo Frio, todas os setores estão completamente abandonados. Não podemos dizer que temos um buraco no Jardim Caiçara, se a cidade está completamente esburacada. Não é só o Parque Burle que alaga, ou seja, em tempos de chuva forte a cidade fica intransitável. Além do Jacaré, Jardim Esperança, Boca do Mato e Monte Alegre, temos uma cidade que é um esgoto a céu aberto e que tem lixo e entulho por onde passamos. As Pracinhas de São Cristóvão e da Gamboa mais oferecem perigo que qualidade de vida, assim como a cidade num todo.
Uma das maiores perdas e falta de respeito com os moradores de Cabo Frio foi o fechamento de hospitais e a demissão de profissionais da saúde em meio à crise da pandemia. Os moradores de Tamoios e do Jardim Esperança que já viviam à mingua, ficaram completamente sem saúde.

Por conta da corrupção, Cabo Frio se tornou uma cidade problema. Em meio à essa terra sem lei em que transformaram nossa cidade, ainda existe um lugar cheio de belezas naturais e uma população batalhadora que vive a espera de dias melhores.