Assine Já
domingo, 09 de agosto de 2020
Região dos Lagos
26ºmax
15ºmin
Alerj
Mercado Tropical Mobile
Coluna

Macaé envergonhando de Cabo Frio a Saquarema. E por aqui, o que fizeram pelo povo?

02 julho 2020 - 11h45

O Prefeito de Macaé, Dr. Aluizio, neste tempo de pandemia, crise financeira e desemprego, criou por lá um Auxílio Emergencial Pecuniário no valor de R$ 800,00 com duração de 3 meses para ajudar - e socorrer - aos moradores e trabalhadores da capital do petróleo.  

Esse socorro inclui trabalhadores do comércio, bem como autônomos, informais e prestadores de serviços, ambulantes e artesãos da cidade, afetados pela quarentena e com os efeitos econômicos da pandemia. 

Enquanto isso, por aqui, apesar de cidades vizinhas, as práticas - e o senso de humanidade - são bem diferentes, quando um Prefeito insiste em repetir o mantra dos vídeos e decretos, obedecendo o seu mentor e parceiro político, o Governador Witzel, investigado pelos supostos desvios de mais de 1 bilhão de reais, somente na saúde, dinheiro esse que deveria ser usando no combate a Covid-19, mas eles insistem em apenas atacar, e culpar, na mídia parceira, o Presidente Bolsonaro. 

O que Dr. Adriano fez pelo povo de Cabo Frio? 

Alugou um hospital particular, o Unilagos - que já recebia verba federal, segundo denúncias - e que desde a sua 'inauguração', atende com praticamente metade dos leitos de UTI e enfermaria contratados, e pagos, com o dinheiro público, segundo recomendação recente do MP do Rio de Janeiro. 

Por aqui, nem os aposentados e pensionistas, que deveriam ser prioridade e são do grupo de risco, recebem em dia, quiçá os profissionais de saúde, que estão na linha de frente, e também acumulam atrasos em seus vencimentos. 

Sem falar na polêmica das cestas básicas - que saiu no site do Jornal O Dia -, que até hoje não chegou na mesa de quem realmente precisa, não em sua maioria ou numa quantidade que realmente atendesse a população. 

Então perguntamos? Onde está o dinheiro de Cabo Frio? 

Está na folha inchada de pagamento, atendendo cabos eleitorais dos Vereadores da base aliada, prés-candidatos a vereadores amigos do poder, estão regando a mídia militante e amiga de quem está no poder, está nas contas dos empreiteiros parceiros do Governo, está aplicado no uso da máquina em prol da reeleição - ou da manutenção ao poder. 

Ate hoje, além dos decretos, nada foi feito em prol do povo, pelo povo e em socorro do povo cabo-friense. 

Em Arraial do Cabo não é diferente, onde até as polêmicas de Cabo Frio eles parecem copiar - tendas milionárias e cestas supostamente super faturadas, mas os críticos comprados para parecer uma gestão eficiente.  

Em São Pedro da Aldeia, o Prefeito ultimamente só pega Covid-19, pois se não fez nada em 8 anos, agora que não virá a reeleição, aí mesmo que não fará, ninguém viu ou ouviu falar. 

Em Iguaba, acometida da mesma maldição da Eleição Suplementar, o Prefeito midiático, que adora aparecer no site oficial de sua divulgação, nada fez ou fará. 

Chegando a Araruama temos o mesmo mal de décadas atrás, um casal populista com medidas coronelistas, que agora comprando a mídia viraram santos e 'exemplos' de administração, ambos com alguns processo na justiça e um inelegível. 

O que falar de Saquarema? Uma cidade maquiada, com o velho jeitinho do sistema político de se fazer. 

Dinheiro tem, mas falta competência e vontade de fazer. 

Voltando a Cabo Frio, Dr. Adriano perdeu a oportunidade da sua vida de deixar um legado histórico e preferiu enterrar sua carreira política como o pior prefeito da cidade, ganhando até do coronel - e olha que eu achava impossível isso acontecer um dia.