Polícia Federal descarta compra de votos em ocorrência de dinheiro apreendido neste sábado (23)

'Ninguém compra voto passando recibo', diz o delegado Javé Soares

Redação I Foto: Divulgação
Publicado em 24/06/2018 às 14:20

O delegado responsável pela operação para coibir crimes eleitorais em Cabo Frio, Javé Macedo Soares, descartou que o dinheiro apreendido pela Polícia Civil neste sábado (23) tenha sido para comprar de votos na eleição suplementar da cidade. O delegado Marcello Maia, titular da 126ª DP (Cabo Frio) disse em primeira mão para a Folha que foi apreendida uma caixa com cerca de R$ 5 mil e recibos com nomes de pessoas, que seriam pagas por trabalhar na campanha do prefeito Marquinho Mendes (MDB). O delegado Javé Macedo confirmou a versão de Marcello Maia e disse que o caso será arquivado.

– Esse caso foi um engano. Tratam-se de pessoas que estavam trabalhando e seriam pagas pelo serviço prestado. Não há indício de compra de votos. Ninguém compra voto e dá recibo. A Polícia Civil abriu a ocorrência e vai mandar para a Polícia Federal de Macaé, mas não vai ser gerado inquérito – explica o delegado federal.

O caso causou grande polêmica na véspera da eleição suplementar de Cabo Frio. Nas redes sociais, chegou a ser compartilhada a informação de que duas grandes malas de dinheiro foram apreendidas, mas o delegado da Polícia Civil Marcello Maia desmentiu a versão e disse que os responsáveis por propagar a falsa denúncia podem responder criminalmente.

Delegado diz que presença da PF intimida crimes eleitorais

O delegado Javé Soares fez um balanço parcial da operação da Polícia Federal na tarde deste domingo (24). Segundo ele, “mais tranquilo impossível”, uma vez que até o fechamento desta matéria não houve registro de detenções por crimes eleitorais.

– Não houve nenhum flagrante de distribuição de cestas básicas, de compra de votos ou de boca de urna. Atribuo isso à presença da Polícia Federal na cidade, que intimida quem comete esse tipo de crime. Não é porque ficaram honestos de uma hora para outra – avalia o delegado.

A operação da PF na eleição suplementar de Cabo Frio conta com 12 agentes e quatro viaturas, sendo uma no segundo distrito, que fazem a ronda ostensiva em toda a cidade. Os agentes federais atuam em conjunto com a Polícia Militar, a Promotoria Eleitoral e o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RJ).

 

 

 

 

Veja também

Compartilhe:  

COMENTÁRIOS

EXPEDIENTE

Rodrigo Cabral

Diretor

Fernanda Carriço

Chefe de Reportagem

fernanda.carrico@folhadoslagos.com

Redação, Administração, Publicidade e Assinatura

Avenida Francisco Mendes 226, loja 06, Centro - Cabo Frio - RJ

Propriedade da Sophia Editora Eireli - ME.

CONTATO

 

Redação

folhadoslagos@ig.com.br redacao@folhadoslagos.com
(22) 2644-4698 - Ramal 206
(22) 99613-2841 | (22) 99933-2196

Publicidade

(22) 2644-4698 - Ramal 215
(22) 99887-3242

Central do Assinante

(22) 2644-4698
(22) 99776-2956