Crime impõe dia de terror em Cabo Frio

Bandidos ateiam fogo em carro em frente à delegacia e decretam novo toque de recolher

Rodrigo Branco
Publicado em 09/10/2019 às 19:57

Pelo segundo dia consecutivo, moradores da região do Manoel Corrêa e de bairros vizinhos, em Cabo Frio, ficaram reféns do medo. Ontem, criminosos realizaram duas ações diferentes de represália pela morte, em confronto com a polícia, de Rodrigo Rangel Junior, o ‘DG’, apontado como um dos líderes do tráfico na Favela do Lixo. 

Em ação marcada pela audácia, na madrugada de ontem, foi incendiado um Jeep Renegade que estava estacionado em frente à delegacia de Cabo Frio (126ª DP). O veículo foi usado por ‘DG’ para transportar drogas para dentro da comunidade, antes do tiroteio que matou o suspeito. Na ação, outro veículo foi atingido pelas chamas e também acabou carbonizado. 

A Polícia Civil investiga o episódio, mas o titular da 126ª DP, delegado Sérgio Caldas, trabalha com duas hipóteses para o ocorrido: queima de arquivo e possível intimidação ao trabalho policial. O delegado confirmou o envolvimento de ‘DG’ no sequestro, tortura e morte de dois vigias capixabas na região das Dunas, no fim de julho. Contra ele, havia ainda um mandado de prisão em aberto expedido pela Justiça. Caldas fez uma ligação entre a atuação dos criminosos do Manoel Corrêa com a quadrilha que atua na Reserva do Peró. 

– A primeira vertente investigativa é de um possível prejuízo à apuração criminal no sentido de tentar evitar que a polícia retire o máximo de informações do veículo apreendido com o criminoso. A segunda seria uma represália porque, além dos 11 mandados de prisão que a Justiça emitiu com apoio do MP, no caso da morte dos dois vigias, tem também os outros quatro da mesma facção lá da Reserva do Peró. Um deles foi preso ontem, o Coringa. Qualquer uma das duas vertentes foi uma ação idiota porque a perícia no veículo já tinha sido realizada ontem, não causou danos à investigação. A represália também é idiota porque não vai diminuir em nada nossa motivação em cumprir nossa missão constitucional de continuar apurando todas as infrações criminais – disse o delegado.

Mais tarde, o clima de insegurança chegou aos comerciantes do Guarani e da Célula Mater, áreas próximas à Favela do Lixo. Estabelecimentos foram fechados, em mais um episódio de toque de recolher imposto pelos criminosos, a exemplo do aconteceu anteontem, só que no comércio que funciona nas ruas internas do Manoel Corrêa.

Por causa da situação tensa no bairro, os serviços públicos municipais novamente tiveram o funcionamento prejudicado. A Secretaria de Educação de Cabo Frio informou que as atividades da Escola Municipal Manoel Mendes de Souza foram retomadas, mas nas escolas municipais Elenita Ferreira dos Santos Abreu, Marília de Teves Moreno, Themira Palmer, as aulas foram suspensas ontem. Os Centros de Referência de Assistência Social (CRAs) e as Unidades de Saúde dos bairros Manoel Corrêa e Jardim Nautilus também permaneceram com as portas fechadas.

Por precaução, mais uma vez, os ônibus da linha 311 (Célula Mater) da Auto Viação Salineira não circularam nas ruas internas do bairro Manoel Corrêa, fazendo itinerário de ida e volta pela Avenida Adolfo Beranger Junior, no Guarani.

O comando do 25º Batalhão da Polícia Militar informou que o policiamento segue reforçado no Manoel Corrêa e nos bairros vizinhos. 

 

Veja também

Compartilhe:  

COMENTÁRIOS

EXPEDIENTE

Rodrigo Cabral

Diretor

Fernanda Carriço

Chefe de Reportagem

fernanda.carrico@folhadoslagos.com

Redação, Administração, Publicidade e Assinatura

Avenida Francisco Mendes 226, loja 06, Centro - Cabo Frio - RJ

Propriedade da Sophia Editora Eireli - ME.

CONTATO

 

Redação

folhadoslagos@ig.com.br redacao@folhadoslagos.com
(22) 2644-4698 - Ramal 206
(22) 99613-2841 | (22) 99933-2196

Publicidade

(22) 2644-4698 - Ramal 215
(22) 99887-3242

Central do Assinante

(22) 2644-4698
(22) 99776-2956