Matheus Mônica

Matheus Mônica é secretário de Desenvolvimento Econômico de Cabo Frio.

17/10/2019

A importância das startups para a economia

Sabemos que uma das principais missões dos empreendedores é encontrar soluções inovadoras para problemas do nosso cotidiano, sejam eles no setor da saúde, da educação, de transportes, etc. E quando as novas ideias e as ferramentas de solução passam por tecnologia e inovação, em um modelo de negócio com baixo custo e alta potencialidade de crescimento, o desafio é conduzido pelas empresas chamadas startups. Quem de nós nunca usou um aplicativo para pedir comida, chamar um carro ou alugar uma casa por temporada? Grandes empresas tão presentes no nosso dia-a-dia atualmente, começaram pequenas, a partir de uma ideia inovadora.
 
Desta forma, podemos definir uma startup como uma pequena empresa em seu período inicial, ou ainda como uma empresa com custos de manutenção muito baixos, mas que conseguem crescer rapidamente e gerar lucros cada vez maiores. Este modelo de negócio, como você deve imaginar, tem desempenhado um papel cada vez mais importante na nossa economia.
 
Segundo a Associação Brasileira de Startups (ABStartups), existem atualmente 12.659 startups cadastradas em todo o Brasil. No entanto, a instituição informa que o número de empresas pode ser ainda maior, por volta de 15 a 20 mil, mas muitas ainda estão na fase de ideias e nem todas possuem CNPJ. O mercado das startups no Brasil já começou a ganhar seus primeiros bilhões. No ano passado, surgiram no país os primeiros “unicórnios” – que são as startups que passam a valer acima de US$ 1 bilhão. 
 
Outro dado de bastante relevância: das empresas cadastradas na base de dados da ABStartups, 72% são lideradas por jovens entre 25 e 40 anos de idade. Além de serem lideradas por jovens, as startups também são empresas que contam com um grande número de jovens em seu quadro funcional, o que dá às startups um importante papel social.
 
Ou seja, indústria do conhecimento tem se tornado uma grande geradora de recursos. É hora de estimular e incentivar empreendedores e suas ideias.

Deixe seu comentário
10/10/2019

Seja um empresário empreendedor!

À primeira vista, pode até parecer que ser empreendedor e ser empresário são a mesma coisa. No entanto, existe uma grande diferença, que pode inclusive impactar de maneira relevante na longevidade do seu negócio. Enquanto ser um empresário diz mais à respeito de uma profissão, de uma posição diante da organização; ser um empreendedor, por sua vez, está muito mais ligado a uma postura, uma visão de mundo.

Os micros, pequenos, médios e grandes empresários são figuras de extrema importância na nossa economia. Muito mais do que “donos de uma empresa”, os empresários são administradores, são aqueles que possuem os conhecimentos e as técnicas necessários para gerir de forma sistemática os seus negócios. No entanto, essas competências nem sempre são suficientes para o crescimento da empresa. Muitas vezes o empresário está administrando o seu negócio da forma correta, mas está estagnado, fazendo mais do mesmo. É neste momento em que desenvolver o seu lado empreendedor fará toda a diferença!

O empreendedor é aquele que olha o mundo e o seu negócio com criatividade, com curiosidade. Buscando criar e aproveitar novas oportunidades de negócio. Neste contexto, ser um ‘empresário empreendedor’ exige do profissional a capacidade de identificar problemas e desenvolver soluções inovadoras. Exige também está atento ao que o seu público consumidor está demandando, sabe o que a sua clientela está desejando e elaborar as formar de atender estes anseios de forma eficiente e gerando receita para o seu negócio. O ‘empresário empreendedor’ concilia o conhecimento técnico e criatividade. E ambas habilidades podem ser desenvolvidas. É necessário buscar atualização constante, estudar o mercado e inovar sempre.

 

Deixe seu comentário
03/10/2019

Pequenas empresas, grandes oportunidades!

A grave crise econômica que atingiu o nosso país nos últimos anos gerou também uma grande crise de empregos. E os números impressionam: são 12,6 milhões de desempregados, de acordo com dados recentes divulgados pelo IBGE. Mesmo diante deste cenário desalentador, temos presenciado um fenômeno que traduz a essência do nosso povo brasileiro, que “não desiste nunca”. Muitos daqueles que perderam seus empregos, decidiram empreender e criar seus próprios negócios. E mais: alguns deles passaram a gerar empregos. As micro e pequenas empresas (MPEs) assumiram então um papel fundamental neste processo de retomada de uma estabilidade econômica.

De acordo com uma pesquisa realizada pelo Sebrae, as MPEs estão no topo da lista quando o assunto é a geração de empregos no país. Para se ter uma ideia, de cada 10 empregos gerados no Brasil, em agosto deste ano, oito foram criados pelos pequenos negócios. Ainda de acordo com o levantamento do Sebrae, quando olhamos para o acumulado de janeiro a agosto, as micro e pequenas empresas foram responsáveis pela criação de 541,7 mil empregos, saldo 15 vezes maior do que o registrado pelas médias e grandes empresas.

Particularmente, acredito que uma das melhores formas de gerar empregos a curto e médio prazo é justamente incentivar e facilitar a abertura e o funcionamento das micro e pequenas empresas. Veja bem, por serem organizações que normalmente funcionam com um número pequeno de funcionários, qualquer aumento na demanda já justifica a criação de novos postos de trabalho e a contratação de mais trabalhadores. Em tese, as MPEs são mais ágeis para responder às demandas do mercado. Um exemplo: o mercadinho de uma região turística que a todo verão contrata novos colaboradores para atender um número maior de clientes na estação. Ao incentivarmos constantemente os pequenos negócios locais, estamos contribuindo para o fortalecimento da economia da nossa região, que acaba refletindo no crescimento de outras empresas e operações – criando um círculo vicioso positivo. As micro e pequenas empresas geram empregos e promovem a circulação de renda. Além disso, contribuem para o crescimento econômico local, evitando que os profissionais tenham que sair das suas cidades em busca de oportunidades de trabalho. Com isso, toda a região se desenvolve. Mais empregos e mais oportunidades de trabalho e negócios. Valorize e incentive o trabalho das micro e pequenas empresas da nossa região.

 

Deixe seu comentário

Veja também

EXPEDIENTE

Rodrigo Cabral

Diretor

Fernanda Carriço

Chefe de Reportagem

fernanda.carrico@folhadoslagos.com

Redação, Administração, Publicidade e Assinatura

Avenida Francisco Mendes 226, loja 06, Centro - Cabo Frio - RJ

Propriedade da Sophia Editora Eireli - ME.

CONTATO

 

Redação

folhadoslagos@ig.com.br redacao@folhadoslagos.com
(22) 2644-4698 - Ramal 206
(22) 99613-2841 | (22) 99933-2196

Publicidade

(22) 2644-4698 - Ramal 215
(22) 99887-3242

Central do Assinante

(22) 2644-4698
(22) 99776-2956