Carol Midori

Carol Midori é protetora de animais e ex-superintendente de Defesa Animal de Cabo Frio

13/09/2019

Cavalos e carroças

É só andar pelas ruas de Cabo Frio, principalmente em Tamoios segundo distrito, que vemos carroceiros em abundância transitando, alguns até no meio da pista atrapalhando o trânsito.

Apesar de existir uma lei estadual que proíba cavalos em carroças, a mesma é muito vaga e não existe fiscalização. 
Deixando protetores de mãos atadas, falando em protetores acho injusto e absurdo tais cobranças direcionada a nós, já que lutamos arduamente sozinhas, sem recursos ou estruturas para ajudar animais abandonados, o que torna inviável conseguirmos fazer o mesmo trabalho com cavalos, já que o custo é infinitamente maior, assim como a dificuldade em transportar estes animais, tais cobranças devem ser feitas aos órgão públicos de nosso município, como diretamente ao secretário de agricultura da prefeitura de Cabo Frio, que tem por obrigação o bem estar destes animais, e não digo que bem estar é recolher de vias públicas e jogar na fazenda sem qualquer tipo de tratamento e suporte, exigindo que o responsável pague uma multa simbólica e o mesmo volte a ser escravizado, ou até mesmo encaminhado para leilão, onde sabemos que seu destino também será nas carroças em sua grande maioria.

A todo momento cavalos atropelados, morrem agonizando, os responsáveis nunca são identificados e muito menos penalizados, temos 04 veterinários remunerado pela prefeitura na Fazenda Campos Novos, dentre eles o próprio secretário, ainda assim vemos esses cavalos circulando a míngua pelas ruas, e quando atropelados nos protetores temos que nos virar para pagar uma eutanásia e aliviar seu sofrimento.

O descaso infelizmente não é só em nosso município, semana passada um cavalo atropelado agonizavas a quase 24h na divisa e São Pedro e Cabo Frio, e mesmo estando a 10 minutos da fazenda Campos Novos, por pertencer a São Pedro, o animal não foi socorrido mesmo após inúmeros pedidos, o secretário de agricultura de São Pedro chegou ao local, depois de divulgarmos em Nossas redes sociais, porém chegou sem nenhum tipo de material para o animal, nem mesmo para eutanásia, onde eu tive que pagar R$ 300,00 para uma veterinária particular acabar com seu sofrimento, onde suas patas estavam quebradas e boa parte do seu corpo também......

O que podemos fazer? Cobrar, MIDIAS locais, defensores dos animais devem cobrar destes responsáveis que olhem pelos nossos animais, apesar de não ter mais nenhum tipo de esperança de melhoria nessa área, ainda assim devemos cobrar! 

Sou totalmente contra cavalos em carroças, pois 99% dos carroceiros não respeitam os limites de seus animais, e só sabem explorá-los, muito mal dão água, quem dirá alimentação adequada e cuidados veterinários, vemos no olhar desses animais uma tristeza profunda e muito sofrimento, sabemos que são descartáveis para eles, e quando caem doentes, são abandonados...

Porém tenho a ciência de que o problema não será resolvido apenas tomando o animal, e que devemos olhar para ambos os lados, dando o suporte necessário para estes que dependem desses animais como seu ganha pão, e por isso o poder público deve se envolver! Na conscientização, na estrutura e no recurso! 

Deixe seu comentário

Veja também

EXPEDIENTE

Rodrigo Cabral

Diretor

Fernanda Carriço

Chefe de Reportagem

fernanda.carrico@folhadoslagos.com

Redação, Administração, Publicidade e Assinatura

Avenida Francisco Mendes 226, loja 06, Centro - Cabo Frio - RJ

Propriedade da Sophia Editora Eireli - ME.

CONTATO

 

Redação

folhadoslagos@ig.com.br redacao@folhadoslagos.com
(22) 2644-4698 - Ramal 206
(22) 99613-2841 | (22) 99933-2196

Publicidade

(22) 2644-4698 - Ramal 215
(22) 99887-3242

Central do Assinante

(22) 2644-4698
(22) 99776-2956